Sr. Osvaldo fez da luta em prol da Natureza sau razão de viver
Um sonho de infância fez com que o produtor de cana de açúcar, Osvaldo Timóteo da Silva, desistisse dos negócios com a exploração agrícola para cultivar um espaço onde pudesse viver em sintonia com a natureza. Foi com persistência e amor pela natureza que ele implantou em São José da Lage, uma fazenda para poder criar animais e cultivar diferenciados tipos de plantas.
Um agricultor que desde menino vivia em contato com bichos e plantas, passava tempos brincando com pássaros, répteis e animais de pequeno porte na propriedade dos pais e avós que também trabalhavam o cultivo da cana. Aos oito anos de idade idealizou o desejo de ter um espaço onde pudesse viver em contato com a natureza. Segundo ele, “foi um sonho de criança, morava em um lugar que tinha muitas árvores e animais silvestres, gostava de ver aves voando, pássaros cantando e animais correndo na fazenda dos pais”. Em 1975 ele comprou a propriedade, uma área localizada na Fazenda Santa Maria, próxima à cidade de São José da Laje, em Alagoas.
A SAGA DE UM SONHO
Um empresário e produtor rural que vivia da exploração natural para sua sobrevivência,  vê hoje o sonho realizado. Sua propriedade é considerada como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), confirmado pelo poder público em 22 de novembro de 2007, ou seja, é uma área integrante das Reservas Particulares do Patrimônio Natural do Brasil. Isso quer dizer que são áreas de conservação da natureza em terras privadas. Este tipo de reserva tem como objetivo promover a educação ambiental, atividades científicas, culturais, recreativas e de lazer. Lá também se desenvolvem atividades econômicas que não comprometem o equilíbrio ecológico como o ecoturismo.
O local era coberto por cana de açúcar, de onde provinha a renda familiar e na qual ele explorou por uma década. Em 1986, a vinte e seis anos atrás, Osvaldo Timóteo colheu sua última safra, deixou de lado o cultivo e passou a projetar seu sonho de preservação. Foi então que começou a trocar a lavoura pelo reflorestamento, um processo árduo que foi sendo implantado ao poucos com ajuda e dedicação integral de toda a família compostas por ele, a esposa, dez filhos e 12 netos.
O sonho do produtor era de ver animais, plantas e recursos hídricos vivos e preservados para o bem estar das pessoas. Foi com essa perspectiva de vida e pelo amor a natureza que ele comprou a fazenda, parou as atividades agrícolas e pôs em prática o processo de preservação do meio ambiente. O canavial foi substituído pela mata, que foi rebrotando com o tempo e pelo reflorestamento através de um projeto próprio de plantar 50 mil árvores. Atualmente, já foram plantadas 25,5 mil mudas que crescem pelo parque e outras 24,5 mil serão plantadas aos poucos.
NATUREZA PRÓXIMA

O cuidado permanente realça a beleza da Reserva
















Na reserva, as pessoas estão em contato permanente com a fauna e a flora, são animais que andam em liberdade sem medo da ação predatória do homem,  plantas que crescem e se reproduzem sem o temor das queimadas e da retirada ilegal de madeira. As nascentes de rios são protegidas e as margens cultivadas para não ocorrer degradação, assim os peixes e os anfíbios conseguem sobreviver em um ambiente hospitaleiro e nocivo ao seu ciclo de vida.  Até agora foram catalogadas mais de sessenta espécies de aves, centenas de tipos diferentes de espécies de plantas e uma grande variedade de animais e répteis, como: tatu, teju, raposas, preguiças, camaleões, cobras de várias espécies, entre outros animais vivendo livremente pela reserva.
Um ecologista de carteirinha, Osvaldo Timóteo diz que o sonho está realizado, mas não vai parar por ai. Por isso, pretende investir no turismo ecológico, para que outras pessoas também possam aproveitar o que a natureza tem de melhor. Ele pretende com esse seguimento mostrar para os visitantes a importância de manter viva a floresta, de ver os bichos correrem pelas matas e de ter os recursos hídricos intactos e longe de poluição. O ecologista tem outro sonho de ver mais empresários tendo a mesma iniciativa e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida em todo o planeta.
A reserva possui atualmente todo suporte técnico e cientifico para garantir o manejo correto do solo, o uso controlado da água e da energia, além de servir para pesquisadores que se interessam em realizar trabalhos e pesquisas de cunho ambiental.  Conta ainda com apoio logístico e de infraestrutura para receber visitantes e amantes da ecologia que queiram conhecer e aproveitar com responsabilidade os recursos naturais.
Vários prêmios já foram ganhos pelo senhor Osvaldo Timóteo pela iniciativa de preservar o meio ambiente, entre eles: Prêmio “Destaque Ambiental 2007″; Troféu municipal “Guerreiro Lajense”; Prêmios nacionais e consecutivos “Produtor Modelo” e Prêmio municipal “Produtor Rural do Ano”.  Os prêmios são apenas o reconhecimento pela boa ação, o que só vem reforçar que independe de poder público para fazer algo salutar às pessoas à natureza, depende sim, conforme diz o ecologista, “de pessoas que tenham amor pelo que gosta e dedicação pelo que faz”.
Texto e fotos : José Ailton Batista Dos Santos(aluno de Jornalismo/UFAL)